This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Estudantes Casos de Sucesso Cátia Piedade
CÁTIA PIEDADE

Mestrado em Engenharia Biomédica – Desporto e Reabilitação

1. Já era estudante de licenciatura no IPS. O que motivou o ingresso no Mestrado em Biomédica? O que despertou a sua atenção?

O ano em que terminei a minha licenciatura em Engenharia Biomédica, coincidiu com o ano de abertura do mestrado de Engenharia Biomédica – Desporto e Reabilitação no IPS. Logo tudo se conjugou para que continuasse numa instituição em que já conhecia o ambiente e a qualidade dos docentes. Outro dos motivos que contribuiu para o ingresso neste mestrado, foi o facto de ser estruturado de forma diferente, tendo uma forte componente prática o que iria permitir adquirir mais conhecimento e experiência.

2. A investigação ocupa um lugar especial no seu dia-a-dia. O que é que a realização deste Mestrado lhe proporcionou neste campo da investigação?

Se a investigação ocupa um lugar na minha vida deve-se à minha tese de mestrado, realizada no âmbito do desenvolvimento de revestimentos para ligas de magnésio. Durante este período foi-me possível trabalhar em laboratório e perceber o quanto sou feliz a fazê- lo. Além disso, foi este trabalho que me permitiu viver uma das maiores experiências enquanto estudante, a minha ida ao Workshop da NASA. Tenho também de referir que nada disto seria possível sem as minhas orientadoras, Prof.ª Doutora Maria João Carmezim e Prof.ª Doutora Catarina Santos, que sempre me apoiaram e com quem aprendi muito.

3. Como foi estar na NASA a apresentar o seu projeto? Quais os principais contributos desta experiência para o seu percurso pessoal e profissional?

Estar na NASA foi uma experiência inacreditável em todos os sentidos. O facto de fazer parte do grupo de três estudantes portugueses que foram apresentar os seus projetos representou para mim um grande reconhecimento do meu trabalho. Posso dizer que foi incrível poder apresentar o meu trabalho aos membros da NASA, conhecer mais de perto as suas instalações e poder visitar todo o complexo Kennedy Space Center. Não posso deixar de referir que durante toda esta experiência foi fantástico o apoio que recebi, tanto do IPS como dos meus colegas.

Apresentar o meu projeto na NASA foi sem dúvida a melhor experiencia que podia ter tido enquanto estudante, permitiu-me não só alargar horizontes como tornar-me mais confiante e evoluir pessoal e profissionalmente.

4. Atualmente está a desenvolver mais alguma investigação? Em que área?

Após terminar o mestrado, fui bolseira de investigação do IST durante um ano. Atualmente, sou engenheira de produção na empresa Charge2C-Newcap, Lda. que é uma startup focada na investigação e desenvolvimento de dispositivos de armazenamento de energia, nomeadamente “supercondensadores”.

5. Quais os melhores momentos que recorda enquanto estudante do IPS?

São muitos os momentos que guardo enquanto estudante do IPS, posso mesmo dizer que fui muito feliz nessa instituição. Foi aí que me formei, que fiz amizades para a vida e que descobri o quanto gosto de investigação e de trabalhar em laboratório. Por isso, torna-se difícil destacar alguns momentos em específico.

6. No futuro vai continuar a apostar na investigação ou já tem mais planos?

Na minha opinião devemos aproveitar o momento, por isso não faço grandes planos mas, atualmente, posso dizer que sou uma pessoa de sorte por trabalhar em algo que gosto. O futuro é uma incógnita, mas vou continuar a trabalhar e a aprender para poder sempre evoluir e tornar-me melhor profissional.

novembro de 2016