This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Incubadora IPStartUp lança empresa inovadora no mercado habitacional

Ecorbis foi criada por dois diplomados em Engenharia Civil pela ESTBarreiro/IPS

Dois diplomados da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro (ESTBarreiro/IPS) juntaram as respetivas especialidades na área da Engenharia Civil – Reabilitação e Estruturas – e criaram uma empresa focada no mercado habitacional, que se distingue pela interligação de serviços normalmente dispersos, como a engenharia, a arquitetura, a gestão de imóveis ou a decoração. Fundada há três anos por António Pena e Filipe Delgado, a marca Ecorbis é hoje mais um projeto que se fez negócio com a ajuda da incubadora de ideias IPStartUp.   



Contem-nos um pouco a origem da ideia deste projeto: nasceu nas salas de aula ou já depois de terminado o curso?

Somos ambos formados em Engenharia Civil pela ESTBarreiro/IPS, o António Pena possui especialidade em Conservação e Reabilitação do Edificado e o Filipe Delgado é especializado no ramo de Estruturas. No entanto, foi no Conselho Pedagógico da escola que nos conhecemos e, mais tarde, após terminarmos os cursos, cruzámo-nos numa entrevista de trabalho para o qual fomos ambos selecionados. A partir daí, começámos a idealizar o projeto.

 

Como foram os primeiros passos e de que forma a incubadora de ideias de negócio IPStartUp vos ajudou neste processo?

Após uma longa crise em Portugal que envolveu também o setor da construção civil, pensar num projeto ligado a esta área era algo arriscado, mas entendemos que deveríamos insistir e havia espaço no mercado para atuarmos, dado o crescimento da economia e a aposta na reabilitação do edificado em Portugal.

Temos uma paixão por este setor e isso faz-nos mover e encarar o mundo tal como ele está. Nos tempos de hoje, abrir uma empresa pressupõe um projeto bem pensado, bem articulado com os serviços a que determinada empresa se propõe, logo a IPStartUp foi uma mais-valia e ajudou-nos bastante, quer a desenvolver todo o plano de negócios, quer a estabelecer contatos que de outra forma seriam difíceis de obter.

Não fizemos o percurso normal de um projeto na IPStartUp, ou seja, não elaborámos em primeiro lugar um plano de negócios para depois começar a trabalhar, nem inventámos um produto para mais tarde comercializar. No nosso caso, iniciámos a prestação de serviços ainda antes de terminar o plano de negócios, o que nos permitiu focar especialmente nas dificuldades e necessidades atuais dos nossos clientes. Com o aumento do interesse por parte dos nossos clientes, registámos a marca Ecorbis e só recentemente criámos a ORBICAF Lda., a empresa detentora da marca. Hoje temos já colaboradores a trabalhar na nossa empresa e pretendemos aumentar os nossos quadros brevemente.

Dito isto, parece até que foi um processo fácil, mas tivemos bastantes dificuldades em determinadas questões, que com o auxílio da IPStartUp foram sendo ultrapassadas.

 

Quais as lacunas que a Ecorbis vem preencher no mercado da construção civil?

Estamos a falar de uma empresa sediada no concelho do Barreiro, o que nos orgulha bastante. Falando de uma forma mais clara, estamos a trabalhar para o mercado habitacional. Não somos isoladamente um gabinete de engenharia, arquitetura, uma construtora, uma imobiliária ou uma decoradora, no entanto, somos tudo isso e muito mais.  A Ecorbis tem um conjunto de serviços interligados, pensados para servir os nossos clientes, que vão desde os projetos a executar até à decoração da casa, sem esquecer obviamente todas as necessidades ligadas ao mercado habitacional, como são os casos da gestão de empreendimentos, certificação energética e manutenção do edificado.

Distinguimo-nos assim por oferecer um conjunto de serviços com o intuito de satisfazer, ao mais alto nível, os nossos clientes. O mercado da construção civil, em Portugal, necessita de empresas que instituam confiança aos clientes, que se distingam pela qualidade e prontidão nos serviços que executam e que, independentemente dos serviços que prestam ou dos clientes que os solicitam, saibam responder com seriedade e acompanhar as expetativas dos clientes. Tudo isso exige uma aposta no conhecimento técnico ao serviço dos clientes e, por conseguinte, qualidade.

 

Já havia empresas no mercado com esta oferta de serviços?

Existem algumas empresas com vários serviços alargados mas, com este conjunto de serviços que se estende até ao mercado imobiliário, são raras as empresas em atividade. Mais que cobrir toda a dimensão do setor da construção civil, tentamos cobrir toda a dimensão do mercado habitacional, pelo que julgamos que esta é uma diferença clara e inovadora.

 

Qual o balanço do vosso percurso desde 2015, entre obstáculos e conquistas?

Relativamente aos obstáculos, existem alguns que já esperávamos encontrar e desde a fase de planeamento que nos preparámos para os ultrapassar. Por vezes, há portas que se fecham, mas existe sempre um plano B que nos faz contornar o problema. Contudo, temos os nossos planos bem definidos e seguimos em frente.

Apesar de sermos pessoas de pensamentos e gerações diferentes, tentamos estar sempre unidos no que corre mal e no que corre bem, o que acaba por se tornar profícuo.

Olhamos para as nossas conquistas com orgulho e ao mesmo tempo com alguma serenidade. A Ecorbis já possui uma carteira de clientes, sendo essa a nossa maior conquista. A nossa aposta na qualidade está a ser bem denotada pelos nossos clientes e estamos a conquistar a nossa parte do mercado, o que nos incentiva a fazer cada vez melhor.

 

Dos trabalhos que já efetuaram, quais apontariam como mais desafiantes e representativos do que são capazes de fazer?

Todos os trabalhos são desafiantes, já que quando um cliente nos procura traz consigo o seu projeto, o seu sonho, a sua obra, os quais implicam um elevado nível de personalização em todos os serviços que oferecemos. O que para nós pode ser uma pequena obra, para o cliente será sempre uma obra ou um projeto de elevada importância, atendendo ao enorme impacto que esta área tem na sua vida. Como tal, qualquer trabalho é tratado com grande respeito, independentemente do cliente ou da dimensão do serviço.

O facto de estarmos a trabalhar maioritariamente em bairros históricos de Lisboa, na área da reabilitação, bem como em outros trabalhos de reabilitação espalhados pelo país, tem sido um desafio enorme e bem representativo daquilo que somos capazes. Cada projeto de reabilitação exige um conhecimento muito aprofundado em engenharia e em história da arquitetura e exige também um certo engenho dentro das diversas técnicas existentes, tornando-se assim um desafio constante.

 

 

24 de julho/2018

Opções
Últimas Notícias
CTeSP nas áreas do turismo e da aeronáutica chegam a Grândola
Divisão Académica do IPS | Encerramento temporário
Andebol do Vitória de Setúbal prepara regresso à 1ª Divisão no IPS
CONGRESSO IPS | 3 e 4 de outubro