This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Do mundo para o IPS | Experiências de intercâmbio

95 novos estudantes frequentam o 2º semestre

Noventa e cinco novos estudantes, representando 24 nacionalidades, da África do Sul ao Vietname, chegaram ao IPS em fevereiro para frequentar o 2.º semestre ao abrigo dos programas de cooperação internacional Erasmus+ e Santander/Cooperação com o Brasil. Em mais uma Semana de Integração (12 a 16 de fevereiro), os jovens recém- chegados foram recebidos com o já habitual programa de atividades desportivas, sociais e culturais. No total, estão a frequentar as cinco escolas do IPS 114 estudantes de intercâmbio, já que aos novos 95 juntam-se os 19 que já se encontravam inscritos para o 1.º semestre ou que optaram por prolongar o período de estudos. Eis as impressões, expetativas e sonhos de quem escolheu Portugal e o IPS para estudar. 

Lino Froehlich, 25 anos, Alemanha

Este é a sua segunda experiência de estudo fora do país de origem. Depois da Tailândia, este estudante de Engenharia Industrial vindo do Sudoeste da Alemanha aventurou-se para um destino dentro da Europa mas igualmente ensolarado. Aconselhado por colegas que já tinham passado pelo IPS, frequenta agora o Módulo Internacional da Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE/IPS) - sonha desempenhar funções como responsável de produção de uma empresa industrial - e, além do conhecimento académico, quer levar consigo no regresso muitas e boas amizades. "É bom ter amigos em várias partes do mundo", confessa, descrevendo os portugueses como "pessoas de mente aberta e muito afáveis".

Gabriela Rodrigues, 24 anos, Brasil

Acabada de chegar de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, esta estudante de Arte e Teatro está "emocionada" com o que veio encontrar em Setúbal. Desde a proximidade entre o alojamento e o campus - em casa demorava três horas diárias em deslocações à Universidade Estadual Júlio Mesquita - à limpeza da cidade, passando pela realidade social. "Em São Paulo a desigualdade é escancarada, há pessoas muito pobres em todos os lugares. Eu não tenho visto isso aqui e fico pensando: por que não é ainda assim lá?". Outro motivo de "encantamento" é o edifício da ESE/IPS, assinado pelo arquiteto Siza Vieira, onde está inscrita em Animação e Intervenção Sociocultural. Um curso que, acredita, lhe proporcionará aprendizagens preciosas, tendo em conta os planos que tem para o futuro. "Guarulhos é uma cidade dormitório, onde existem poucos espaços de fruição cultural. O meu objetivo é levar para a minha comunidade o que estou aprendendo aqui".

Federica Podda, 25 anos, Itália

Sonha ser professora de crianças com necessidades educativas especiais e sente que esta experiência num país desconhecido a está ajudar a entender melhor o que é ser "diferente" da maioria. "Sendo estrangeira aqui, também eu sou diferente e especial", observa, num português quase fluente, explicando por que razão decidiu estender o seu período de estudos na Escola Superior de Educação (ESE/IPS) por mais um semestre. "Tudo contribuiu para que eu decidisse ficar. Gosto das pessoas, que são muito acolhedoras, da cidade, e sobretudo das aulas. Aqui os professores 'cuidam' dos alunos, há uma relação mais próxima, muito diferente do que existe em Itália".

Iago Schultz, 23 anos, Brasil

Chegado em setembro, da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, onde cursava Biomedicina, decidiu prolongar a sua permanência por mais um semestre, aprofundando os estudos em Tecnologia Biomédica, na Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/IPS). "Hoje em dia, no mercado de trabalho, é necessário um conhecimento multidisciplinar. No Brasil, estava mais focado na área da saúde e escolhi o IPS para conhecer o outro lado, a parte tecnológica", explica. Considera que já "cresceu" muito enquanto pessoa, neste processo de "adaptação às diferenças, desde a faculdade até ao local onde eu moro", e não descarta a hipótese de vir a trabalhar em Portugal. De qualquer modo, sabe que ter esta experiência internacional no CV pode abrir-lhe "muito mais portas do que se eu tivesse só a graduação na minha faculdade de origem".

09 de março/2018 

Opções
Últimas Notícias
Novos estudantes mobilizam-se para limpeza do estuário do Sado
Nova pós-graduação em Intervenção Social e Práticas Artísticas
IPS promove-se no Brasil | Salão do Estudante
IPS entrega Cartas de Curso e dá as boas-vindas aos novos estudantes
Jornadas assinalam os 20 anos da licenciatura em Logística