This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

IPS fomenta o Empreendedorismo e Emprego Juvenil

I Fórum do Empreendedorismo e Empregabilidade debate a relevância de incitar a cultura empreendedora e promover o emprego jovem

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) promoveu, no dia 21 de novembro, o "I Fórum de Empreendedorismo e Empregabilidade", uma iniciativa organizada no âmbito do Consórcio Maior Empregabilidade, do qual fazem parte 13 instituições de ensino superior públicas e privadas, entre as quais o IPS, e a Fórum Estudante. O Consórcio tem vindo a desenvolver um conjunto de trabalhos, estudos, conferências e iniciativas, cujo principal objetivo é promover a maior empregabilidade dos jovens recém-diplomados do ensino superior. Neste âmbito foi também apresentado no fórum o estudo "Novos mercados de trabalho e novas profissões".

A O evento, que durante o período da manhã foi inteiramente dedicado ao empreendedorismo, iniciou com a intervenção do Dr. Rui Marques, Administrador da Fórum Estudante, que definiu a iniciativa como "um marco muito importante não só para as atividades que temos vindo a desenvolver conjuntamente" no contexto do Consórcio, mas também "para aquele que é um traço distintivo do Instituto Politécnico de Setúbal, a aposta que faz de uma forma muito clara quanto à relevância do empreendedorismo para as novas gerações".

De acordo com o Dr. Rui Marques, o Consórcio tem desenvolvido um trabalho relevante para que as entidades de ensino superior "possam conhecer melhor a realidade e assim ajudar os seus estudantes para uma boa integração no mercado de trabalho."


Na sessão de abertura o Prof. Doutor Pedro Dominguinhos, Presidente do IPS, salientou a relevância de envolver as instituições de ensino na temática do empreendedorismo, pois "este é um tema que consegue agregar um conjunto de competências abrangentes em redor da academia", sendo necessário "colocar estruturas a trabalhar para os estudantes" e revelando que "a este propósito iremos inaugurar brevemente a Incubadora IPS no campus de Setúbal". B

Para o Presidente do IPS o trabalho desenvolvido no âmbito do Consórcio tem sido muito positivo, pois "provavelmente temos o maior estudo sobre a empregabilidade que foi feito a nível nacional", referindo-se ao estudo «Preparados para trabalhar?» apresentado no dia 14 de novembro, no Instituto Politécnico do Porto, que contou "com mais de 7000 inquéritos, com o envolvimento de centenas de empresas e associação empresariais, com 13 instituições privadas, públicas, politécnicas e universitárias".

O fórum prosseguiu com um painel em torno do "empreendedorismo a 360º" com o objetivo de transmitir aos participantes diferentes visões sobre esta temática. Através das intervenções do Prof. Doutor Filipe Cardoso, Pró- presidente do IPS para a I&D, Inovação e Empreendedorismo e da Dr.ª Sandra Pinto, da Unidade de Apoio à Inovação, I&D e Empreendedorismo do IPS (UAII&DE-IPS), os participantes ficaram a conhecer o que é realizado no IPS neste contexto, como os diferentes workshops dentro e fora da instituição, o apoio prestado a docentes e estudantes pela UAII&DE-IPS no desenvolvimento das suas ideias e negócios, a promoção do empreendedorismo juvenil através do concurso IPS Junior Challenge e de ações como a IPStartUp Week, entre outras. O representante da DNA Cascais, Jean Baronet elucidou a plateia sobre o papel do trabalho em rede, o "Networkig", no contexto do empreendedorismo e sobretudo acerca da importância da capacidade de foco dos indivíduos para alcançarem os objetivos definidos a nível pessoal e profissional.

Foi também abordado um outro tema, nomeadamente "a proteção da propriedade intelectual", no qual o Prof. Eurico Gonçalves e a Prof.ª Doutora Susana Gonçalves, docentes do IPS, relataram a sua experiência sobre o processo para patentear os seus produtos, alertando a plateia para os principais cuidados e procedimentos a ter para que terceiros não utilizem em proveito próprio, ideias, produtos, serviços e marcas que não desenvolveram ou criaram. Ainda neste espaço, os diplomados do IPS, Pedro Dias e Anabela Schinck, e a estudante do IPS, Vanda Carvalho, apresentaram os seus projetos com o objetivo de transmitirem como decorreu o seu percurso empreendedor, quais os principais desafios que enfrentaram e as soluções encontradas, partilhando a respetiva experiência com os participantes.


C O período da tarde incidiu sobre a temática da empregabilidade dos jovens com a apresentação do estudo "Novos Mercados de Trabalho e Novas Profissões", pela Prof.ª Doutora Ana Cláudia Valente, do CEPCEP (Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa) - Universidade Católica de Lisboa. De acordo com a autora, o estudo envolveu "interlocutores das mais variadas naturezas, [...] que nos deram a sua visão sobre aquilo que têm sido as experiências de trabalho com jovens, sobretudo com jovens diplomados".

A Prof.ª Doutora Ana Cláudia Valente anunciou que "uma das boas notícias é a vantagem dos jovens mais qualificados", pois "as taxas de emprego dos jovens com ensino superior são sempre superiores às do jovem que sai para o mercado de trabalho com o ensino secundário". No campo da projeção, estima- se que até 2025 surjam cerca de 2,4 milhões de oportunidades de emprego em Portugal, salientando que "as oportunidades de emprego também são mais do que aquilo que a economia cresce ou que as empresas crescem, [...] porque estamos todos a envelhecer, [...] vai haver necessidade de substituir a mão-de- obra que está hoje empregada".


Após a apresentação do estudo seguiu-se um debate, que contou com a intervenção da Dr.ª Sandra Neves, Chefe do Departamento de desenvolvimento de recursos humanos da VW Autoeuropa, do Dr. Manuel Gonçalves, Diretor de Recursos Humanos da Deloitte e do Dr. Etelberto Costa, Vice-presidente da APG (Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas) que transmitiram a sua visão sobre a temática, deixando alguns conselhos sobre os elementos mais valorizados nos processos de recrutamento e alertando os participantes para a relevância das "soft skills" no acesso ao mercado de trabalho, enquanto empreendedores ou como colaboradores de empresas e instituições.


A sessão de encerramento esteve a cargo do Prof. Doutor Gonçalo Xufre da Silva, Presidente da ANQEP (Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional), que evidenciou a necessidade de "perceber quais são as expectativas dos jovens e para onde querem ir", mas também de entender "que sistemas temos, que ofertas temos, quais as necessidades das empresas e onde é que temos capacidade de resposta e podemos construir soluções", para que se possa trabalhar a real situação da empregabilidade dos jovens. Na opinião do Presidente da ANQEP "os politécnicos são parte da solução, começaram a tomar consciência de que esta componente de ter uma resposta da empregabilidade é algo muito mais importante" e têm construído uma oferta "que não perca a oportunidade de criar uma modalidade que leve à empregabilidade." D

Opções
Últimas Notícias
Novos estudantes mobilizam-se para limpeza do estuário do Sado
Nova pós-graduação em Intervenção Social e Práticas Artísticas
IPS promove-se no Brasil | Salão do Estudante
IPS entrega Cartas de Curso e dá as boas-vindas aos novos estudantes
Jornadas assinalam os 20 anos da licenciatura em Logística